[KINDLE] ❂ Perguntem a Sarah Gross ❅ João Pinto Coelho – Buyprobolan50.co.uk

Perguntem a Sarah Gross Em 1968, Kimberly Parker, Uma Jovem Professora De Literatura, Atravessa Os Estados Unidos Para Ir Ensinar No Col Gio Mais Elitista Da Nova Inglaterra, Dirigido Por Uma Mulher Carism Tica E Misteriosa Chamada Sarah Gross Foge De Um Segredo Terr Vel E Procura Em St Oswald S A Paz Poss Vel Com A Companhia Da Exuberante Miranda, O Encanto E A Sensibilidade De Clement E Sobretudo A Cumplicidade De Sarah Mas A Verdade Persegue Kimberly At Ali E, No Dia Em Que Toma A Decis O Que A Poderia Salvar, Uma Trag Dia Abala Inesperadamente A Institui O Centen Ria, Abrindo As Portas A Um Passado Avassalador.Nos Corredores Da Universidade Ou No Apertado Gueto De Crac Via Sombra Dos Choupos De Birkenau Ou Pelas Ruas De Auschwitz Quando Ainda Era Uma Cidade Feliz, Kimberly Mergulha Numa Hist Ria Brutal De Dor E Sobreviv Ncia Para A Qual Ningu M A Preparou.Rigoroso, Imaginativo E Profundamente Cinematogr Fico, Com Di Logos Magistrais E Personagens Inesquec Veis, Perguntem A Sarah Gross Um Romance Trepidante Que Nos D A Conhecer A Cidade Que Se Tornou O Mais Famoso Campo De Exterm Nio Da Hist Ria A Obra Foi Finalista Do Pr Mio LeYa Em 2014.


10 thoughts on “Perguntem a Sarah Gross

  1. says:

    N o me lembro de nenhum outro livro de um autor portugu s que tivesse causado tanto burburinho em t o pouco tempo como este Perguntem a Sarah Gross E se n o arrecadou o primeiro lugar no Pr mio Leya, o p blico atribuiu lho por unanimidade N o me parece haver nada a acrescentar aos rasgados elogios testemunhados, dentro e fora do Goodreads Fa o coro com todos os que exaltaram a fidelidade hist rica dos acontecimentos narrados e que servem de pano de fundo ao lado ficcional, a qualidade da es N o me lembro de nenhum outro livro de um autor portugu s que tivesse causado tanto burburinho em t o pouco tempo como este Perguntem a Sarah Gross E se n o arrecadou o primeiro lugar no Pr mio Leya, o p blico atribuiu lho por unanimidade N o me parece haver nada a acrescentar aos rasgados elogios testemunhados, dentro e fora do Goodreads Fa o coro com todos os que exaltaram a fidelidade hist rica dos acontecimentos narrados e que servem de pano de fundo ao lado ficcional, a qualidade da escrita aliada a uma capacidade descritiva claramente fotogr fica, a est ria dentro da hist ria bem encadeada entre duas pocas distintas e, sobretudo, o inesperado do desfecho que nos deixa deriva entre a surpresa, a compaix o e alguma revolta E aqui que temos tamb m o nosso momento de revela o e conforma o o holocausto foi real, cabe nos a todos n o o deixar cair no esquecimento, para que gera es futuras n o corram o risco de o desacreditar e permitir a sua repeti o As d vidas, essas, continuar o a receber o sil ncio como resposta.N o um livro perfeito se tal existe mas foi dos que mais gostei de ler em 2015 e junta se a um pequeno grupo na prateleira dos favoritos Foi lido como outras leituras anteriores focadas no mesmo tema com grande emo o, num misto de horror e fasc nio, revolta e descren a.De salientar que o livro mais que este triste peda o de hist ria da humanidade Num outro espa o temporal fala se de outros abusos racismo, viola o de menores, prepot ncia, mas tamb m de grandes amizades e cumplicidades, de gente resiliente que n o baixa os bra os e luta por aquilo em que acredita.Posto isto, resta me parabenizar o autor pela estreia prometedora, pela proximidade que criou com os leitores esclarecendo d vidas, falando do seu e de outros livros, revelando uma disponibilidade que n o muito comum e que o p blico certamente aprecia E j agora, seria bom que a editora levasse Sarah Gross al m fronteiras, acredito que este livro tenha todos os ingredientes para fazer sucesso noutros mercados e que Jo o P Coelho possa figurar ao lado de outros nomes portugueses que obtiveram destaque noutros pa ses


  2. says:

    N o vou dizer muito sobre Sarah Gross , pois, por vezes, os sil ncios dizem mais do que as palavras E, tamb m, porque creio ser prefer vel que cada leitor entre neste livro de olhos fechados e se deixe levar de surpresa em surpresa, de emo o em emo o Leiam este livro Aprendam com ele Encantem se com a prosa envolvente e irrepreens vel com a hist ria bel ssima, embora muito triste e com as maravilhosas e inesquec veis personagens At as p ginas finais de agradecimentos s o bonitas


  3. says:

    Eu achava que j se tinha escrito tudo sobre Auschwitz Bom, escreveu se quase tudo Faltava este livro Comecei a ler sem investigar a fundo sobre ele Sabia que valeria a pena mas n o estava preparada para o que aconteceu a seguir A escrita simples, cinematogr fica, nada rebuscada, nada desnecessariamente complexa Come amos a ler e damos connosco em Shelton e damos connosco em Oshpitzin e damos connosco sentados ao lado daquelas personagens todas Aquelas pessoas existem, s o reais, feitas Eu achava que j se tinha escrito tudo sobre Auschwitz Bom, escreveu se quase tudo Faltava este livro Comecei a ler sem investigar a fundo sobre ele Sabia que valeria a pena mas n o estava preparada para o que aconteceu a seguir A escrita simples, cinematogr fica, nada rebuscada, nada desnecessariamente complexa Come amos a ler e damos connosco em Shelton e damos connosco em Oshpitzin e damos connosco sentados ao lado daquelas personagens todas Aquelas pessoas existem, s o reais, feitas de carne, osso e passado e conseguimos v las e senti las como se as tiv ssemos nossa frente.A hist ria constr i se devagar Vamos mergulhando e, quando damos por n s, estamos a muitos metros de profundidade, mergulhados sem botija E falta nos o ar E falta nos o ch o H muitos anos, quando li o Ensaio Sobre a Cegueira , dei por mim sufocada, sem conseguir respirar, tal era a densidade da trama e a mestria com que estava escrita Ontem, a ler os cap tulos finais de Perguntem a Sarah Gross , voltei a sentir o mesmo Ou mais ainda chorei Dei por mim de l grimas a escorrer pela cara Uma ang stia sem fim E foi muito dif cil regressar superf cie.Este livro foi finalista do Pr mio Leya devia ter sido vencedor, sem d vida nenhuma n o que o vencedor n o tenha m rito, mas isso pano para outra conversa.Este livro, insuspeito e ainda sem passado editado h pouco tempo, a fazer o seu caminho devagar, como normal na obra de um escritor em in cio de carreira , tornou se num dos meus livros preferidos Hei de sempre lembrar me de Sarah, de Esther, de Daniel principalmente de Daniel.Acredito que aos escritores, mais do que contar hist rias, interessa fazer com que os leitores sintam coisas Nem sempre acontece quantos livros j lemos que n o nos fizeram sentir nada, n o por serem maus ou por estarem mal escritos, mas apenas porque lhes falta aquele ingrediente secreto que s os grandes escritores conseguem utilizar Este livro tem este m rito maior faz nos sentir Mexe nos com as entranhas, revolta nos a alma, desassossega nos.Leiam Explorem Descubram o que esteve para l de Auschwitz Este livro absolutamente imperd vel e acredito que ficar certamente mais pobre quem passar pela vida sem o ler


  4. says:

    Finalmente consegui escrever algo sobre este livro N o est perfeito, mas com sorte o suficiente para vos convencer a l lo.Volto a repetir, por que sou chat rrima Leiam no Finalmente consegui escrever algo sobre este livro N o est perfeito, mas com sorte o suficiente para vos convencer a l lo.Volto a repetir, por que sou chat rrima Leiam no


  5. says:

    Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh t o t o t o bom


  6. says:

    Quando nos apaixon mos por um livro sentimos muito mais responsabilidade no coment rio que nos sugere e o nosso maior receio defraud lo O defeito ser inteiramente meu se n o se sentirem compelidos em l lo.Di logos inteligentes, textos pertinentes, um livro contido, superficialidades e corriqueirices parte, tudo revelado com intensidade, com verdade Um livro impactante, precioso Uma capacidade descritiva emocionante que nos leva ao seu encontro, estamos l , assistimos e sofremos as su Quando nos apaixon mos por um livro sentimos muito mais responsabilidade no coment rio que nos sugere e o nosso maior receio defraud lo O defeito ser inteiramente meu se n o se sentirem compelidos em l lo.Di logos inteligentes, textos pertinentes, um livro contido, superficialidades e corriqueirices parte, tudo revelado com intensidade, com verdade Um livro impactante, precioso Uma capacidade descritiva emocionante que nos leva ao seu encontro, estamos l , assistimos e sofremos as suas dores, as suas emo es.Denota uma pesquisa e um trabalho de fundo imprescind vel qualidade que conseguiu imprimir.Lamento tanto publicidades imerecidas a escritores banais, a livros med ocres, que se destacam muitas das vezes apenas por se rodearem das pessoas certas e que os transportam para a ribalta ser que se deu ou d o devido enfoque a este nosso escritor Fa amos, pelo menos, n s, leitores, jus a este MARAVILHOSO LIVRO Muitos parab ns a Jo o Pinto Coelho com votos de que n o mais deixe de nos presentear com a sua escrita Obrigada Fiquei obviamente f incondicional e farei a minha parte na divulga o de um bom livro para ler


  7. says:

    image error Nunca mais esquecerei este sil ncio nocturno que me privou, para a eternidade, do desejo de viver Elie Wiesel, Noite image error Nunca mais esquecerei este sil ncio nocturno que me privou, para a eternidade, do desejo de viver Elie Wiesel, Noite


  8. says:

    A Segunda Guerra fascina me porque condensa tudo o que h de pior e de melhor na humanidade a trag dia das trag dias, a maior epopeia da Hist ria, o romance infinito, um reservat rio de hist rias terr veis, pat ticas, espl ndidas, her icas, que parece n o se esgotar nunca mais forte que a Il dia, mais forte que squilo, mais forte que tudo o terror e a piedade, e para mais tudo verdadeLaurent Binet in HHhH Opera o Antrop ide Sextante Editora Considero perfeitas estas palavrasA Segunda Guerra fascina me porque condensa tudo o que h de pior e de melhor na humanidade a trag dia das trag dias, a maior epopeia da Hist ria, o romance infinito, um reservat rio de hist rias terr veis, pat ticas, espl ndidas, her icas, que parece n o se esgotar nunca mais forte que a Il dia, mais forte que squilo, mais forte que tudo o terror e a piedade, e para mais tudo verdadeLaurent Binet in HHhH Opera o Antrop ide Sextante Editora Considero perfeitas estas palavras de Laurent Binet para descrever o fasc nio suscitado pela Segunda Guerra Mundial e em particular pelo Holocausto Talvez porque, n o obstante ser um tema muito debatido, estudado, investigado, retratado e recriado por palavras e imagens, suscita tantas quest es e fornece t o poucas respostas Perguntem a Sarah Gross uma obra que se desenrola em dois espa os temporais e geogr ficos, Pol nia 1923 a 1945 e Estados Unidos da Am rica d cada de 60 , mas percebe se que o tema central o Holocausto, pois a ac o centrada na d cada de 60 nos Estados Unidos da Am rica serve principalmente para desvendar o passado na Segunda Guerra Mundial, com a lucidez e clareza que s o distanciamento temporal proporciona O nico tema aut nomo tratado sobre a d cada de 60 nos EUA, o da segrega o racial, mas de forma pouco aprofundada Ainda assim, certamente que n o foi inocente na mesma obra intercalar a quest o do exterm nio religioso com a segrega o racial O tema do Holocausto j foi muitas vezes tema central na literatura, mas o autor de Perguntem Sarah Gross conseguiu retrat lo de uma perspectiva, para mim, original Focando a hist ria na comunidade judaica que vivia em Oswiecim ou Oshpitzin em i diche , cidade onde iria ser constru do Auschwitz O livro reflecte um enorme interesse do autor por essa poca hist rica e a sua biografia confirma o Foi com grande prazer que mergulhei em alguns pormenores da religi o judaica e sua organiza o, tal como sobre os campos de concentra o Diria que poderia ser Jo o Pinto Coelho a proferir as palavras de Laurent Binet Apesar de todo o rigor hist rico houve algumas quest es que o livro me suscitou, nomeadamente sobre se existe algum suporte real que permita acreditar que era admitido a uma alta patente da Gestapo albergar e proteger uma judia.Quando estrutura do livro considero que a intercala o temporal e geogr fica muito bem conseguida, contudo quanto ao desenrolar da s hist ria s julgo que a primeira parte, consubstanciada na chegada de Kimberly ao Col gio e toda a descri o sobre esse embate, muito prolongado, por contraponto ao final do livro que me pareceu um pouco abrupto, em que o destino de certas personagens retratado de forma muito resumida, nomeadamente considero que seria interessante que tivesse sido desenvolvido o que sucedeu alta patente da Gestapo depois da Segunda Guerra Mundial, de que forma saiu do pa s, conseguiu chegar aos Estados Unidos da Am rica e esconder se sobre outra identidade Na reportagem entrevista publicada no P blico consta que o autortinha a hist ria de um criminoso de guerra que conseguira escapar para uma aparente vida normal , e os exemplos reais de Eichmann e Mengele, revelam a exist ncia de material que permite, com rigor hist rico, aflorar um pouco esse aspecto Talvez para a pr xima obra do autor Tamb m julgo que seria interessante perceber como foi a conviv ncia entre v tima e carrasco durante tantos anos nos EUA.N o posso deixar referir a intelig ncia na escolha do t tulo do livro, quenasce da desist ncia por parte do autor de encontrar uma resposta Recomendo o livro a todas as pessoas que se interessem pela Segunda Guerra Mundial e que queiram deliciar se com uma hist ria bem contada e uma escrita flu da e cuidada A reportagem entrevista ao autor pode ser lida aqui


  9. says:

    Decepcionante SPOILER ALERTA escrita muito boa, numa palavra, eficiente, mas a hist ria ou as hist rias s o fracas, demasiado previs veis.Nas primeiras duzentas p ginas a narrativa arrasta se desnecessariamente, demasiado repetitiva, destacando se apenas algumas sequ ncias a tem tica do segregacionismo racial, o di logo entre Clement e Kimberky, na biblioteca a verem o Pinus strobus, a leitura por parte do Dylan Hightower do texto referente ao TPC, o di logo entre a Kimberly e o pai do Dylan Decepcionante SPOILER ALERTA escrita muito boa, numa palavra, eficiente, mas a hist ria ou as hist rias s o fracas, demasiado previs veis.Nas primeiras duzentas p ginas a narrativa arrasta se desnecessariamente, demasiado repetitiva, destacando se apenas algumas sequ ncias a tem tica do segregacionismo racial, o di logo entre Clement e Kimberky, na biblioteca a verem o Pinus strobus, a leitura por parte do Dylan Hightower do texto referente ao TPC, o di logo entre a Kimberly e o pai do Dylan Hightower, o senador Rufus Hightower, e pouco mais Depois, gostei da estrutura do romance, duas narrativas desenvolvidas em paralelo, no espa o e no tempo, em dois espa os principais EUA e Pol nia um pouco na Alemanha e em dois per odos temporais 1968 1969 e 1923 1943 Depois, fiquei sem perceber porque que a Sarah Gross assassinada Em que medida que essa sequ ncia determinante para o desfecho do romance Na minha perspectiva n o acrescenta absolutamente nada.Depois, as duas principais personagens femininas a Kimberly e a Sarah Gross s o excessivamente id nticas acabando por se anularem , uma outra inteligentes, independentes, decididas, lutadoras, carism ticas, detentoras de dramas e segredos traum ticos ambas foram violadas a Kimberly pelo tio Emmett, a Sarah pelo nazi Max Kirchmann.Depois, mesmo na parte final em que a hist ria , substancialmente, mais interessante, n o existe nada de verdadeiramente arrebatador, que j n o tenha lido no contexto da WWII, da ascens o do nazismo e do exterm nio dos judeus nos campos de concentra o noutros romances ou, mesmo, em livros de n o fic o sobre a referida tem tica Depois, gostei muito da reconstitui o hist rica, sobretudo, do per odo entre 1923 e 1943, na Pol nia.Depois, fiquei perplexo com a liga o entre o bibliotec rio Clement Chandler e homem da Gestapo Max Kirchmann Depois, detestei as explica es finais da Esther.Depois, n o vislumbro a necessidade do Ep logo.Depois, n o percebi o t tulo.Depois, o booktrailer excelente No Goodreads h 268 classifica es a Perguntem a Sarah Gross apenas 3 com 2 Estrelas 1% o que revela bem que eu n o percebi ou n o compreendi este romance Apesar de tudo Espero ler o pr ximo romance do escritor Jo o Pinto Coelho n 1967


  10. says:

    Muito j foi dito sobre este livro, de maneira que, nem que quisesse tentar, n o saberia o que dizer.As palavras n o me assistem ao tentar descrever o efeito que este livro teve em mim um livro maravilhosamente bem escrito, com uma hist ria cativante e comovente, que nos arrasta, p gina ap s p gina, atrav s da vida de duas personagens extremamente interessantes.N o percebo como que este livro foi simplesmente finalista do pr mio Leya e n o vencedor com louvores m ximos para nos vir conf Muito j foi dito sobre este livro, de maneira que, nem que quisesse tentar, n o saberia o que dizer.As palavras n o me assistem ao tentar descrever o efeito que este livro teve em mim um livro maravilhosamente bem escrito, com uma hist ria cativante e comovente, que nos arrasta, p gina ap s p gina, atrav s da vida de duas personagens extremamente interessantes.N o percebo como que este livro foi simplesmente finalista do pr mio Leya e n o vencedor com louvores m ximos para nos vir confirmar mais uma vez, n o que tivesse muitas d vidas , que n o s o s os que ganham pr mios que s o bons ou merecedores da nossa aten o.S posso desejar que o autor volte a publicar novamente, porque eu de certeza que irei ler